7f030_big.jpg What's Up

O grande show do Xgames


Ao longo dos anos os X-Games vêm se transformando num evento mais motorizado, mais enxuto nas modalidades, mais rico e mais seletivo. Apesar do crescimento absurdo das provas com motos, o skate continua detonando com o verdadeiro show da mega-rampa do big air ou do enorme half pipe. Da última quinta-feira ao domingo, o mega evento bombou mais uma vez em Los Angeles, California, EUA, a terra onde quase tudo começou.

Apesar da rigorosa seleção do elenco, alguns bravos brasileiros foram chamados. Apenas Bob Burnquist e Sandro Dias para o vertical, Bob para o big-air e a guerreira Patiane de Freitas para o street. Mais uma vez nenhum brasileiro foi chamado a estar entre os 10 do streetskate, por uma razão bem conhecida: A audiência manda!

Assistir ao vivo na ESPN Brasil a final do big air com comentários do Rodrigo K-b-ça (aqui da Tribo Skate) e do André Cywinski, foi muito style! Cada um dos cinco drops de cada um dos seis finalistas na monstruosidade que é a mega-rampa, representava um frio na barriga. Bob tentou a linha mais técnica, no gap menor (50”), acertou um b/s flip indy e quase um ss f/s 360 finger flip . O quase resultou numa vaca braba, mas ele ainda fez seu quinto drop, mesmo doído. O homem da mega-rampa foi novamente o famigerado Danny Way, que estava lutando contra um tornozelo contundido desde a sua façanha de atravessar a Muralha da China há um mês. Mancando, o cara acertou um f/s 360 seguido de um christ air. Até então, o canadense Pierre-Luc Gagnon (PLG) estava liderando a parada…

Com a torcida barulhenta do pai, PLG havia vencido no sábado a prova de vertical, que foi uma verdadeira batalha de gigantes. O snowboarder e skatista de 17 anos, Shawn White foi o toque de renovação no time de estrelas. Com uma série de rotações (360, 540, 720) ficou em segundo lugar. O terceiro foi Sandro Dias, que na melhor linha acertou seu 900 antes de debulhar todo o imenso half. Incrível mesmo foi a recuperação de Bob em sua terceira e derradeira apresentação. Depois de errar nas duas primeiras voltas, finalizou a última com um switch ollie one foot!!! Merecido quarto lugar.

Sem dar chance para o marasmo, Bob foi mais uma vez com tudo para o best trick de vert. Para vencer as cabulosas manobras de Colin McKay, Bucky Lasek e o alley oop 900 do Mineirinho, teve que acertar seu f/s 540 lein to tail! Na baaaaaaaase!

A prova de street saiu da arena desde o ano retrasado, para uma situação (mais ou menos) de rua, o “real street”. O street park foi suprimido, por isso o sempre medalhista Rodil não ser chamado. Mesmo assim, tanto ele quanto Wagner Ramos, que também já se deu bem em X-Games no “real street”, continuam de fora. Cadê o Carlos de Andrade? Considerações à parte, a brasileira Patiane acabou se machucando e não foi bem no evento. A americana Elissa Steamer mais uma vez levou a melhor. No vert feminino, a veterana Cara-Beth também dominou mais uma vez.

Entre os artistas indicados para o street, Paul Rodrigues venceu pelo segundo ano consecutivo. Ele é aquele que não treme na volta de nenhuma manobra, seja na base ou de switch, Mas, no meio de tanta rampa grande (seja do skate e bike, seja das motos), o street acabou como uma prova menor.

Street:
1. Paul Rodriguez
2. Greg Lutzka
3. Chris Cole
4. Ryan Sheckler
5. Andrew Reynolds
6. Bryan Herman
7. Eric Koston
8. Rick McCrank
9. Bastien Salabanzi
10. Geoff Rowley

Street feminino
1. Elissa Steamer
2. Evelien Bouilliart
3. Marissa Del Santo
4. Lauren Perkins
5. Amy Caron
6. Vanessa Torres
7. Lyndsey Adams-Hawkins
8. Patiane Freitas

Vert
1. Pierre-Luc Gagnon
2. Shaun White
3. Sandro Dias
4. Bob Burnquist

5. Andy Macdonald
6. Jake Brown

7. Tas Pappas
8. Buster Halterman
9. Rune Glifberg
10. Bucky Lasek

Vert feminino
1. Cara-Beth Burnside
2. Lyn-Z Adams Hawkins
3. Mimi Knoop
4. Jen O'Brien
5. Holly Lyons

Best trick vert
1. Bob Burnquist – frontside 540 nosegrab lien to tail

2. Colin McKay
3. Pierre-Luc Gagnon
4. Sandro Dias

Big air
1. Danny Way
2. Pierre-Luc Gagnon
3. Andy MacDonald
4. Bucky Lasek
5. Rob Lorifice
6. Bob Burnquist

Por cesar gyrão
Os textos, informações e opiniões publicadas nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com